Equilíbrio de Mercado

O equilíbrio de mercado é uma situação de mercado em que o preço e a quantidade do bem desejada pela procura e pela oferta se igualam. O preço que se verifica numa situação de equilíbrio de mercado é tal que a quantidade procurada do bem é exatamente igual à quantidade oferecida desse mesmo bem. Diz-se, por isso que estamos perante uma quantidade e um preço de equilíbrio. O termo “equilíbrio” é utilizado porque numa situação como a descrita não existem quaisquer incentivos para aumentar ou descer o preço desde que todas as restantes determinantes da oferta e todas as restantes determinantes da procura se mantenham constantes.

Numa representação gráfica, o equilíbrio de mercado é dado pelo ponto em que a curva da procura e a curva da oferta se cruzam.

Publicado em E | Deixe um comentário

Equilíbrio Macroeconômico

O equilíbrio macroeconômico é uma situação de mercado em que a procura agregada do conjunto dos agentes econômicos de uma economia, iguala o total de produção nessa mesma economia, isto é, em que o Consumo Privado + Consumo Público (Gastos do Estado) + Investimento + Exportações Líquidas* = Produção. Numa situação de equilíbrio macroeconômico, o PIB real observado na economia e o nível geral de preços são tais que não existem quaisquer incentivos para aumentar ou descer os preços desde que todas as restantes determinantes da oferta e todas as restantes determinantes da procura agregada se mantenham constantes.

Numa representação gráfica, o equilíbrio macroeconômico é dado pelo ponto em que a curva da procura agregada e a curva da oferta agregada se cruzam. O preço (ou mais corretamente, o nível geral de preços) e a quantidade (ou mais corretamente, o PIB real) correspondentes a esse ponto de equilíbrio são designados, respectivamente, por preço de equilíbrio e por quantidade de equilíbrio.

Exportações Líquidas* = Exportações – Importações

Publicado em E | Deixe um comentário

Entesouramento

O termo Entesouramento designa a retenção de valores monetários (notas e moedas) ou a sua aplicação em outros valores ou ativos tais como jóias, ouro ou obras de arte. Ao contrário de outras aplicações de poupança, tais como os depósitos ou o investimento, no entesouramento as aplicações não são efetuadas em ativos produtivos e ou geradores de rendimento, tendo como único objetivo a transferência de capacidade de consumo para um período futuro. Naturalmente que algumas das referidas aplicações de entesouramento como o ouro ou as obras de arte poderão proporcionar rendimentos associados à sua valorização. Contudo, nestes casos, e quando a aplicação é efetuada com esse objetivo, fará mais sentido designar tais aplicações como investimento e não como entesouramento.

Publicado em E | Marcado com , | Deixe um comentário

Empréstimo

O termo empréstimo é a designação dada à cedência da utilização de determinado ativo pelo seu proprietário a uma outra pessoa ou entidade envolvendo um compromisso de devolução num determinado prazo e, geralmente, acrescido de uma determinada contrapartida.

Consoante o tipo de ativo envolvido e o fim a que se destina, o termo empréstimo pode adquirir outras designações. Se for um imóvel, passa a designar-se por arrendamento. Se for um bem móvel, a designação será aluguel. No caso do ativo ser dinheiro, o empréstimo pode adquirir a designação de financiamento e de crédito, envolvendo geralmente o pagamento de um juro, calculado com base numa taxa de juros que incide sobre o montante emprestado.

Publicado em E | Deixe um comentário

Empresa

No âmbito da ciência econômica, a empresa é o termo utilizado para designar uma unidade produtiva, isto é, o agente econômico cujo papel na economia é a produção de bens de consumo e para satisfação de necessidades humanas e de bens intermédios para utilização na produção de outros bens.

Publicado em E | Marcado com | Deixe um comentário

Eficiência Produtiva (ou Eficiência Econômica)

Em economia, o termo eficiência produtiva significa que os recursos estão a ser usados da melhor forma possível para satisfazer as necessidades desejos das pessoas. Dito de outra forma, a existência de eficiência é sinônimo de ausência de desperdício.

Um conceito derivado é o de eficiência produtiva: verifica-se eficiência produtiva quando, dados as tecnologias de produção e dados os fatores de produção disponíveis numa economia, esta não consiga produzir maior quantidade de um determinado bem sem sacrificar a produção de um outro; quanto tal ocorre, significa que a economia está sobre a sua fronteira de possibilidades de produção.

Em termos microeconômicos, a existência de eficiência produtiva significa que, tendo em conta a tecnologia disponível e os preços dos fatores produtivos, determinada empresa conseguiu produzir o máximo de bens com o mínimo de fatores produtivos.

Publicado em E | Marcado com | Deixe um comentário

Efeito Guiffen

Efeito Guiffen designa uma exceção à lei da procura em que a procura dirigida a um determinado bem aumenta quando o seu preço também aumenta. Esta situação, observada pela primeira vez pelo economista inglês Guiffen, ocorre geralmente em períodos de elevada inflação, quando a quebra do poder de compra das famílias obriga os consumidores, em especial os de menos recursos, a reduzir a procura de bens de maior qualidade e a aumentar a procura de bens indispensáveis à vida, mesmo após o seu preço ter aumentado.

Publicado em E | Deixe um comentário